segunda-feira, 21 de junho de 2010

Morreu José Saramago, prémio Nobel de Literatura

Na sexta-feira passada, 18 de Junho, morreu José Saramago, o único prémio Nobel de Literatura português, aos 87 anos de idade.

Expomos aqui vários sítios com notícias e reportagens sobre este autor.

Várias centenas de pessoas no cemitério do Alto de São João (Lisboa) (Jornal Público)
http://www.publico.pt/Cultura/varias-centenas-de-pessoas-no-cemiterio-do-alto-de-sao-joao_1442797

O escritor que revolucionou com a sua escrita (Jornal Publico)
http://www.publico.pt/Cultura/o-escritor-que-revolucionou-com-a-sua-escrita_1442703

Lista de obras essenciais de José Saramago (Jornal Público)
http://www.publico.pt/Cultura/lista-de-obras-essenciais-de-jose-saramago_1442485

Cronologia dos prémios de Saramago. (Jornal Público)
http://www.publico.pt/Cultura/cronologia-os-premios-de-saramago_1442499

Cronologia das polémicas de José Saramago (Jornal Público)
http://www.publico.pt/Cultura/cronologia-as-polemicas-de-jose-saramago-actualizada_1442502

Galeria de fotografias (Jornal Público)
http://static.publico.clix.pt/docs/cultura/josesaramagoadespedida/

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Manoel de Oliveira - artigo de "El País"

Vejam um artigo do jornal espanhol "El País" (Fazer click no sublinhado) sobre Manoel de Oliveira, realizador português de 101 anos que está a apresentar em Cannes um novo filme.

María de Medeiros - novo disco (na RTVE)

De la web www.rtve.es

María de Medeiros: "Soy una actriz que canta"

La popular actriz portuguesa, a la que hemos visto en películas como 'Pulp Fiction' de Quentin Tarantino, ha presentado en Madrid 'Península & Continentes', su segundo disco en solitario.

María de Medeiros: ’Soy una actriz que canta’




Entrevista con María de Medeiros en La Tarde en 24 Horas. 13-05-2010

La actriz y cantante portuguesa nos comenta sus proyectos en el cine y la música.

Entrevista con María de Medeiros en La Tarde en 24 Horas




'Penínsulas y continentes', el crucero musical de María de Medeiros (Asuntos Propios) - 13-05-2010

La actriz y cantante María de Medeiros nació en Lisboa, pasó su infancia en Austria y vive en París. Su último disco, 'Penínsulas y continentes' demuestra que ella es la globalización personalizada. Maria de Medeiros canta en portugués, inglés, castellano, italiano e incluso en valenciano medieval en su nuevo disco. En el álbum, el segundo de la artista, De Medeiros versiona varias canciones (13/05/10).

'Penínsulas y continentes', el crucero musical de María de Medeiros (Asuntos Propios)



La actriz y cantante María de Medeiros tiene nuevo disco (Otros acentos)

23-03-2010"Penínsulas & Continentes" es el título de su nuevo trabajo en el que recoge músicas nacidas en las penínsulas Ibérica e Itálica, y en los continentes americano y africano. María presentará sus nuevas canciones en Barcelona el 26 de Marzo, en Lisboa el 7 de Abril, Oporto 8 de Abril, y París, el 12 de Abril. La Embajadora de España en Eslovenia, Anunciada Fernández de Córdova, acaba de publicar el libro "EL VUELO DE LOS DÍAS", un libro de viajes en el que recoge buena parte de sus experiencias personales. Nos aproximamos a la exposición de fotografía en la que la fotógrafa Isabel Muñoz, plasma en imágenes como ven los niños el mundo."EL MUNDO A TRAVÉS DE LA MIRADA DE LOS NIÑOS", se expone en Caixa Forum en Barcelona

La actriz y cantante María de Medeiros tiene nuevo disco (Otros acentos)



El crucero musical de María de Medeiros (En Días Como Hoy)- 25-02-2010

La actriz y cantante portuguesa Maria de Medeiros canta en portugués, castellano, inglés, italiano y hasta en valenciano medieval en su segundo trabajo discográfico, 'Penínsulas & continentes', un disco en el que se realiza todo un crucero musical entre los mares que bañan las penínsulas Ibérica e Itálica y los continentes americano y africano (25/02/10).

El crucero musical de María de Medeiros (En Días Como Hoy)

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

O Carnaval em Portugal - 2º Bach - 09-10

Origem do Carnaval

Dez mil anos antes de Cristo, homens, mulheres e crianças se reuniam no verão com os rostos mascarados e os corpos pintados para espantar os demônios da má colheita. As origens do carnaval têm sido buscadas nas mais antigas celebrações da humanidade, tais como as Festas Egípcias que homenageavam a deusa Isis e ao Touro Apis. Os gregos festejavam com grandiosidade nas Festas Lupercais e Saturnais a celebração da volta da primavera, que simbolizava o Renascer da Natureza. Mas num ponto todos concordavam, as grandes festas como o carnaval estão associadas a fenômenos astronômicos e a ciclos naturais. O carnaval se caracteriza por festas, divertimentos públicos, bailes de máscaras e manifestações folclóricas. Na Europa, os mais famosos carnavais foram ou são: os de Paris, Veneza, Munique e Roma, seguidos de Nápoles, Florença e Nice
http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/carnaval/index.php

No Carnaval em Portugal existe uma grande tradição carnavalesca, nomeadamente os Carnavais da Ilha da Madeira (donde saíram os imigrantes que haveriam de levar a tradição do Carnaval para o Brasil), Ovar, Loures, Podence, Loulé, Sesimbra, Torres Vedras e Sines, destacando-se o de Torres Vedras, por possuir o Carnaval mais antigo e dito o mais português de Portugal que se mantém popular e fiel à tradição rejeitando o samba e outros estrangeirismos. Juntamente com o Carnaval de Canas de Senhorim com perto de 400 anos e tradições únicas como os Pizões, as Paneladas, Queima do Entrudo, Despique entre outras. Nos Açores, mais propriamente na ilha Terceira, reside uma das formas mais peculiares do Carnaval em Portugal, as Danças e Bailinhos de Carnaval. Esta tradição, tida como a maior manifestação de teatro popular em Portugal, remonta ao tempo dos primeiros povoadores e reflete um estilo teatral bem ao jeito dos Autos vicentinos.

Hoje descobrimos como se comemorava antigamente e como se comemora hoje em dia o Carnaval em Portugal. Antes de partirmos para a nossa primeira descoberta, tentamos dizer tudo o que nos fazia lembrar o Carnaval, isto é, a área vocabular de Carnaval. As palavras que nos vieram à cabeça foram máscaras, fantasias, palhaços, balões, serpentinas, jogos, comida, bebidas e muita alegria!
Depois, demos início à nossa pesquisa e descobrimos o seguinte:
• Antigamente as pessoas mascaravam-se, assustavam as outras pessoas e faziam coisas engraçadas. As suas fantasias eram roupas velhas. No dia de Carnaval, cada terra tinha o seu rei e rainha. Hoje em dia, o Carnaval é diferente. Vê como é o Carnaval em algumas terras:
• Torres Vedras - O Carnaval em Torres Vedras é conhecido como o "Carnaval mais português de Portugal". Não imitam outros países, como por exemplo, o Brasil. Continuam a utilizar o Carnaval para brincar e gozar com as pessoas que estão no governo.
• Ovar - Ovar é uma terra a norte de Portugal muito sossegada. O seu Carnaval é muito conhecido. São as pessoas que fazem as suas roupas de Carnaval. Para além das pessoas, há bonitos carros enfeitados que andam nas ruas a desfilar. O Carnaval de Ovar é grande, alegre e divertido!
• Madeira - Na ilha da Madeira as pessoas gostam de andar sempre a mexer-se. É muito divertido, as pessoas vestem-se com cores alegres, que condiz com as imensas flores que a ilha tem nos jardins e nas ruas.
• Alcobaça - Em Alcobaça o Carnaval não dura três mas sim cinco dias. As pessoas vão para a festa vestidas de branco. Como era muito parecido com o Carnaval brasileiro, as pessoas pensavam que este Carnaval não ia funcionar mas afinal não era verdade.

http://novaeralusitana.blogs.sapo.pt/631.html

Abertura do Carnaval de Ovar 2010

A edição 2010 do Carnaval de Ovar teve o seu início oficial no Sábado, dia 16 de Janeiro. É o início de uma época de intenso convívio e diversão, especialmente no centro da cidade de Ovar. Nas sedes dos Grupos intensifica-se o trabalho, nos bares e restaurantes canta-se, dança-se, toca-se e convive-se com uma energia que contagia qualquer um.
O início à Festa foi marcado pela construção do "Monumento ao Carnaval", uma figura para a qual cada Grupo Carnavalesco contribui com uma peça cuja criação tiveram total e absoluta liberdade criativa.
A figura permanece até ao fim dos festejos, observando o local mais concorrido da Noite Mágica, a Praça do Neptuno.
Á noite, após um curto percurso a pé, o Tocá Rufar, um projecto que se tornou na maior orquestra de percussão tradicional portuguesa, trouxe a marca da sua batucada para a dar como oficialmente aberto o Carnaval de Ovar 2010.

http://www.carnaval.ovar.net/

Carnaval de Torres Vedras - 2º Bach - 09-10

Carnaval de Torres Vedras

O Carnaval de Torres é das poucas festividades de carnaval que se mantêm fiéis às tradições da comemoração do entrudo em Portugal. Este carnaval distingue-se na celebração dos festejos contando com a participação espontânea e massiva dos cidadãos.

Actualmente o Carnaval de Torres é organizado pela Câmara Municipal de Torres Vedras , pela Real Confraria do Carnaval de Torres e pela empresa municipal de organização de eventos Promotores.

Celebração do Carnaval

Nos corsos participam os carros alegóricos, os grupos de desfile, as " matrafonas " (homens mascarados de mulher) e os famosos cabeçudos (bonecos gigantes) acompanhados pelos " Zés-Pereiras ". Contudo, muitos são os populares que se associam à folia , maioritáriamente mascarados , e que desfilam nos espaços livres entre os carros alegóricos e os grupos de desfile.

A interacção entre o público e os mascarados é em grande parte feita através do arremesso de "cocotes" (pequenos objectos, feitos de papel e restos de serradura e borracha) entre ambos. No sabado à noite é dada ainda a oportunidade a todos os grupos que se mascarem participem na festa no desfile de grupos de mascarados, que só no ano de 2007 contou com mais de 3000 figurantes. A música é também toda ela local, tentando manter as raízes portuguesas. O tocandar é o veiculo fabricado pela câmara para fazer de palco móvel à banda torreense "Improviso Jazz" que anima o carnaval com música brasileira mas também portuguesa e africana.

Este carnaval caracteriza-se por ser realizado bem no centro da cidade e por ter diferentes palcos: O circuito do desfile, o palco dos DJ's na Praça da Batata e ainda o Palco 2 no parque ao lado. Há ainda o circuito de bares na zona histórica que anima os foliões durante toda a noite.

Os corsos principais são compostos por carros alegóricos oficiais, (carros estes que chegam a atingir os 5 metros de altura!!) e ainda por carros espontâneos que têm vindo aa participar cada vez mais e melhor. O Carnaval de Torres Vedras auto intitula-se de "O mais português de Portugal". Carnaval de Torres Vedras auto es titulado "El portugués de Portugal".

2009

Em 2009 o Ministério Público proibiu o conteúdo sobre o computador Magalhães , que fazia parte do Monumento , uma construção temática que todos os anos satiriza um aspecto da actualidade.

2010

Já está fechado o programa do Carnaval de Torres para este ano. Ya cerrado el programa de Carnaval de Torres para este año. As actividades irão decorrer a partir de 23 de Janeiro ( Dia da inauguração do monumento do Carnaval), nos dois sábados seguintes 30 de Janeiro e 6 de Fevereiro irão decorrer os tradicionais assaltos ao Carnaval, que consiste no seguinte: os foliões de Torres Vedras mascaram-se e vão para as rua do centro fazer uma espécie de apresentação do carnaval, não só nas ruas de Torres mas também nos bares e discotecas da localidade. Oficialmente as actividades promovidas pelas 4 entidades responsáveis começam no dia 11 de Feveiro e irão terminar só no dia 17 de Fevereiro à noite com o enforcamento do entrudo e sucessovo fogo de artificio, é de salientar a que a cidade nestes dias (de 12 a 17 de Fevereiro) não dorme pois o foliões fazem 24/24H de folia ea toda a hora vive-se o carnaval de Torres - O Carnaval Mais Português de Portugal e também O Mais Antigo de Portugal em toda a sua história pois os primeiros registos do carnaval em Torres são de 1572.

Entidades Envolvidas na Organização do Evento

  • Real Confraria do Carnaval de Torres Vedras Real Cofradía del Carnaval de Torres Vedras
  • Associação de Ministros e Matrafonas do Carnaval de Torres Vedras De Asociación de Ministros y matrafonas Carnaval de Torres Vedras


Informação de: http://pt.wikipedia.org/wiki/Carnaval_de_Torres_Vedras

Programa de Carnaval de Torres Vedras

http://www.carnavaldetorres.com/programa/

Vídeo da festa

http://www.youtube.com/watch?v=8RaMzChw360



terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Queima das fitas e outras festas académicas - 2º Bach - 09-10

Festas Académicas

Para além das festas da cidade ou da Rainha Santa, na primeira semana de Julho (centradas em torno do feriado municipal a 4 de Julho, festa da Rainha Santa Isabel), ‎Coimbra é também conhecida pelas festas e tradições académicas.

A primeira das duas festas é a Latada ou a Festa das Latas e imposição das insígnias, que acontece no início do ano escolar, para dar as boas vindas aos novos estudantes (caloiros ou novatos). As Latadas começaram no século XIX quando os estudantes exprimiam ruidosamente a sua alegria pelo termo do ano lectivo em Maio. Utilizavam para isso todos os objectos que produzissem barulho, nomeadamente latas. Foi a partir dos anos 1950/60 que as Latadas passaram a ocorrer, não no termo do ano lectivo, mas sim no início, coincidindo com a abertura da Universidade e a chegada da população escolar de férias, o que dava à cidade um clima eminentemente académico. Actualmente os caloiros, incorporados no cortejo, vestem uma fantasia pessoal com as cores da sua faculdade ou a batina virada do avesso, transportando cartazes com legendas de conteúdo crítico, alusivos à vida escolar ou nacional. Os caloiros seguem em duas filas paralelas, com os padrinhos que devem ter um comportamento digno de um estudante de Coimbra, dando o exemplo aos novatos que se estão a iniciar na Praxe Académica. No fim do cortejo nas ruas da cidade, os novos estudantes são baptizados no rio Mondego: "Ego te baptizo in nomine solemnissima praxis".

Sítio da Latada da Associação Académica de Coimbra.
Aquí expomos uma apresentação feita pelos alunos de 2º de Bachillerato sobre a Latada


A segunda festa é a Queima das Fitas, bastante mais importante que a primeira, tem lugar no fim do segundo semestre, mais concretamente no início do mês de Maio, começando na noite de quinta-feira para sexta-feira com a Serenata Monumental nas escadas da Sé Velha. É a maior festa estudantil de toda a Europa e tem a duração de 9 dias, um dia para cada faculdade da universidade (Letras, Direito, Medicina, Ciências e Tecnologias, Farmácia, Economia, Psicologia e Ciências da Educação e Educação Física e Ciências do Desporto) e Antigos Alunos. Apesar de existirem mais festas do género em outras cidades, o aparecimento da Queima das Fitas começou em 1899 em Coimbra, fazendo assim com que seja única no país. Ela é a explosão delirante da Academia, consistindo para os Quartanistas Fitados e Veteranos, na solenização da última jornada universitária ou seja, o derradeiro trajecto de vivência coimbrã. Os festejos da Queima das Fitas consistem sobretudo no seu programa tradicional, composto por: Serenata Monumental, Sarau de Gala, Baile de Gala das Faculdades, Garraiada (Figueira da Foz), Venda da Pasta (receitas para a Casa de Infância Dr. Elísio de Moura), "Queima" do Grelo (que deu o nome à festa) e Cortejo dos Quartanistas, Chá Dançante e as ainda chamadas Noites do Parque.

O Sítio da AAC (Associação Académica de Coimbra) tem informação sobre a Queima das Fitas e a Praxe


http://2009.queimadasfitas.org/aqueima.html


EVENTOS TRADICIONAIS

GARRAIADA:

Garraiada toma lugar no Coliseu Figueirense . A Garraiada da Queima das Fitas é constituida por três momentos. Tem início com a Parada dos Fitados pela Arena, onde estes agitam orgulhosamente as suas fitas, seguida de uma Tourada e por fim a tão esperada Garraiada.
Este evento remonta às mais antigas tradições Coimbrãs, e realiza-se desde, pelo menos, 1903, sendo desde então um evento integrante da Queima das Fitas e também um dos mais mobilizadores acontecimentos, levando milhares de estudantes à Praça de Touros da Figueira da Foz
.

RECITA DAS FACULDADES: Segundo a Tradição Académica Coimbrã, a récita tem como objectivo a sátira, a crítica ou o desabrochar da veia poética dos que se preparam para deixar a Academia de Coimbra.
A Récita será aberta a todos os estudantes da Universidade de Coimbra, e realizar-se-á no dia 23 de Abril nos Jardins da Associação Académica de Coimbra
.

SERENATA MONUMENTAL:

É ao som do tradicional Fado de Coimbra, após o soar das doze badaladas da Cabra, que tem início a Semana das Actividades Tradicionais da Queima das Fitas de Coimbra. Este evento emblemático na vida académica de todos os estudantes, especialmente daqueles que pela primeira vez traçam a capa.


Aquí podem ver um vídeo da Serenata.




OUTROS EVENTOS:

Podem ver as actividades da Queima das Fitas do ano 2009 aquí.

A Praxe - 2ºBACH - 09-10

A PRAXE

No que consiste:
A praxe académica é um conjunto amplo de tradições, usos e costumes que se praticam e repetem ao longo dos anos no foro universitário, e cuja Alma Mater é Coimbra. Fortemente ligada ao conceito de praxe académica, está a tradição de integrar os caloiros na sua nova escola e nos próprios costumes, pelo que a praxe tem também um ritual iniciático fortemente hierarquizado. Esta ligação é forte de tal modo que por muitas vezes se confunde o conceito de praxe, que é o conjunto de todas as tradições e rituais com o de "gozo ao caloiro". Actualmente, as actividades de recepção ao Caloiro tem sofrido forte contestação e gerado enorme polémica, chegando a haver o instaurar de diversos processos-crime, em razão de práticas que, afinal de contas, nada têm a ver com os ritos iniciáticos da praxis académica.

GRAUS HIERÁRQUICOS
Na Wikipedia temos resumida a Hierarquia Universitaria. Aqui aparece a união de todas as hierarquias das universidades de Portugal, mas recomendamos ver a de Coimbra, que é a tradicional
PRAXE COIMBRÃ: INTEGRAÇÃO E AMIZADE
A praxe académica de Coimbra é uma tradição secular constituída por todos os costumes da Universidade de Coimbra, dos quais fazem parte algumas brincadeiras feitas pelos estudantes mais velhos (Doutores) aos alunos recém-chegados (caloiros).....
Declarando-se anti-praxe, o estudante perde alguns direitos, mas não é ostracizado, não fica isolado dos seus colegas, nem perde a oportunidade de fazer amigos.
Submetendo-se à praxe, o caloiro integra-se muito mais depressa na vida de Coimbra e na sua nova etapa como estudante universitário. ..
Pedro Silva (Presidente da Secção de Defesa dos Direitos Humanos da AAC)

http://www1.ci.uc.pt/sddh/Artigos%20Publicados/2001/PraxisCoimbra.doc

ARTIGO DE JORNAL
No entanto, segundo o dux, a praxe “não serve apenas para dar as boas-vindas aos caloiros” e proporcionar-lhes “uma boa integração” na comunidade universitária e na cidade…..…“A praxe é uma mostra da evolução das tradições dos estudantes e da universidade”, visando também “manter um espírito muito próprio numa comunidade muito única”, refere.….“O código deve ser interpretado como uma orientação de como deve ser vivida a praxe”, ….“Nestes anos, na Universidade de Coimbra, não me recordo de queixas devido à praxe”, confirma o presidente da Associação Académica (AAC), Jorge Serrote.* http://www.publico.pt/Educa%C3%A7%C3%A3o/veteranos-de-coimbra-rejeitam-praxes-que-ultrapassem-os-limites_1407762

ENLACES PARA LER MAIS:

Código da Praxe

Normas reguladoras dos actos de Praxe na ESTGL

Associação Académica de Coimbra

Tradição, na AAC, com todos os dados da Praxe

E na wikipedia.

DEBATE SOBRE A PRAXE NA TELEVISÃO SIC.
Há três vídeos no YouTube. Expomos o primeiro para não encher de mais o artigo, o visitante deve procurar o resto.


Capa e batina - 2º Bach - 09-10

Capa e Batina em Portugal é considerado o uniforme do estudante universitário. Deriva das vestes eclesiásticas e, desde sempre, é composto pela batina e capa. Este facto realça o pioneirismo da Igreja no Ensino.
O traje surgiu em Coimbra como forma de distinguir o foro académico das demais classes e ofícios Existem, portanto, um conjunto de regras de elaboração e utilização do traje que descrevem especificamente as características da calça ou saia, camisa, laço ou gravata, colete, batina, capa, sapatos.º
Capa e batina
O traje académico actual, também apelidado de "capa e batina", é composto por uma batina, que foi reduzida a uma casaca, colete, gravata preta, camisa branca, calças simples, sapatos simples, e por uma capa, que deverá tocar no chão, quando colocada sobre os ombros, sem dobras. Esta é a indumentária reservada aos homens, que também podem usar um gorro simples, sem borla. As senhoras, em vez da batina, usam um casaco pela cinta, mas não cintado, uma camisa branca, uma saia travada e abaixo do joelho, meias compridas, pretas e não opacas, sapatos simples, e uma capa igual à dos homens.
Ao final dos estudos está geralmente associado o "rasganço" de toda a indumentária académica, com excepção da capa e da pasta académica, que assim acompanham o resto da vida do antigo estudante. Hoje em dia, são raros os estudantes que fazem, de facto, o "rasganço", devido ao peso sentimental atribuído ao traje, no final do curso. Dá-se, então, um "rasganço" simbólico, usando-se apenas a capa (se assim o desejar) - esta é a indumentária mais característica dos Veteranos, os alunos com mais matrículas do que as necessárias para terminar o curso. Aos rapazes rasga-se a roupa toda com excepção dos colarinhos, punhos, capa e gravata. Às moças rasga-se apenas e só o que se não rasgou aos rapazes, isto é, os colarinhos, punhos, laço ou gravata e meias, a capa também não se lhes rasga.

Aquí temos um vídeo da serenata monumental com a canção tradicional.





E aqui a letra da canção:

E PARA A MALTA DO RODAS, NÃO VAI NADA?
NADA?NADA????.....TUDOOOOOOOOOOOO!!!!
MAS MESMO NADA?NADA?
NADA??......TUDOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!
ENTÃO COM TODA A CAGANÇA E PUJANÇA E ESPÍRITO DO PEDAL, AQUI SAI UM
F-R-A...FRÁ
F-R-E...FRÉ
F-R-I...FRI
F-R-Ó...FRO
F-R-U...FRU
FRA-FRÉ-FRI-FRO-FRU
ALI-QUA-LI-QUA-LI-QUA
CHIRIBI-TA-TA-TA-TA
HURRA!!HURRA!!HURRA!!!